segunda-feira, 16 de novembro de 2015

respostas


respostas

Por vezes, ou muitas vezes, procuramos com tremenda ansiedade por respostas … tentamos perceber e explicar determinadas circunstâncias e situações da nossa vida … ao ponto da busca por essas respostas se tornar quase obsessiva.
A reflexão é um elemento importante da nossa existência … reflectirmos para que possamos retirar as ilações e aprendizagens mais importantes de cada situação … no fundo para que possamos evoluir.
A questão é que quando a busca dessas respostas se torna como que no objectivo supremo da vida acabamos, em muitas situações, por nos distrair-mos da própria vida em si.
Então, por vezes, mais do que respostas talvez seja importante fazermos por viver cada instante, nomeadamente os instantes “simples” da vida, da forma o mais “plena” possível.
Ou seja, não estamos estendidos na relva a sentir o sol na nossa pele e, ao mesmo tempo, a pensarmos porque a chuva é molhada ou porque o vento nos deixa despenteados (no caso de quem tem ainda cabelo ;O )
Nesse instante sintamos de forma profunda o calor do sol na pele. 
Estarmos vivos, de forma saudável, é já, por si só, um presente de valor incalculável. Faz por te lembrares disso com mais frequência. Por certo irá-te ajudar a recordar do tremendo valor dos presentes que a vida te oferece.

Pedro Jorge Pereira
16 de Novembro de 2015

terça-feira, 6 de outubro de 2015

Sessões Individuais ETS, 8 e 29 de Outubro, 5ªfeiras

Sessões Individuais ETS
a Ecologia de Transformação do Ser enquanto instrumento de mudança e bem-estar
8 e 29 de Outubro, 5ªfeiras


Que tristeza pensar que a Natureza fala e o ser humano não a escuta”
Victor Hugo

Não é propriamente fácil definir de forma muito precisa ou concisa em que consiste a ETS – Ecologia de Transformação do Ser quando tanto da sua essência e dinâmica incide em dimensões bastante intangíveis.
Apesar disso, podemos afirmar sucintamente que a ETS – Ecologia de Transformação do Ser tem por objectivo levar à auto-reflexão, ao auto-conhecimento e, como propósito primordial, recordar a cada indivíduo, a cada ser, que faz parte de todo um ecossistema repleto de múltiplas dimensões e complexidades, infinitamente mais amplo do que a sua própria individualidade.
Numa sociedade fortemente orientada para valores como o materialismo, a meritocracia, a competição, não é difícil acabarmos por ter um estilo de vida extremamente desequilibrado, artificial e que não contribuí para a nossa verdadeira felicidade e bem-estar, num sentido mais amplo. Nem, evidentemente, para o bem-estar de todos outros seres do Planeta. Pelo contrário, esse estilo de vida afasta-nos cada vez mais dos ciclos, cadência e essência da Mãe Natureza. Dos ciclos, ritmos e essência próprios de cada um de nós e da espécie a que pertencemos.
Mais ainda: muitas vezes parece que perdemos a capacidade de observar de forma crítica e construtiva aquilo que somos e fazemos enquanto indivíduos, enquanto projecto de vida, enquanto seres em evolução.

A ETS – Ecologia de Transformação do Ser é simplesmente uma forma diferente, tendo a própria Natureza como veículo, de sermos capazes de nos confrontarmos construtivamente com esse dilema eterno e ancestral de: quem somos, de onde vimos e para onde vamos?
E de podermos decidir, conscientemente e construtivamente, quem queremos ser (e quem não queremos ser), o que queremos ser (e o que não queremos ser) e para onde queremos ir (e para onde não queremos ficar).
Muitas das nossas dinâmicas sociais fazem-se de contactos superficiais, frívolos e sem grande significado.
Por outro lado, a nossa sociedade tende a valorizar aspectos externos que não são verdadeiramente importantes e que nos mantêm desviados de uma verdadeira busca e processo de descoberta interior.
Dito de outra forma: em geral não é assim tão frequente fazermos um esforço construtivo e consciente para observar e modificar o nosso próprio estilo de vida e hábitos adquiridos. Assim como padrões (pre)dominantes.
Acabamos por agir condicionados por gestos, hábitos e padrões culturais (pre)dominantes sem que, muitas vezes, empreendamos um verdadeiro esforço no sentido de os questionar. Será que eles contribuem para o nosso verdadeiro bem-estar e equilíbrio enquanto seres providos da matriz sagrada da Mãe Natureza?
Escutamos, sentimos e deixamo-nos guiar por essa matriz primordial ou nem por isso?
Será possível vivermos de forma plena e consciente todas as pequenas grandes dádivas que a vida nos oferece a cada instante?

A ETS – Ecologia de Transformação do Ser baseia-se pois em métodos muito simples de análise e reflexão em torno de dimensões chave naquilo que nos constitui enquanto indivíduos e seres sociais tais como as nossas raízes familiares, pessoais, ambientais, etc.
Um dos modelos privilegiados de reflexão consiste na realização de Sessões individuais onde são trabalhadas as diversas dimensões “raíz”.
De uma ou de outra forma a permissa base é de facto muito simples: “Uma caminhada de mil passos começa com o primeiro passo” - Lao Tsé.
E quem, senão nós próprios, temos essa divina oportunidade de percorrer, de forma consciente e harmoniosa, esse caminho que constitui a nossa própria vida?

Sessões Individuais ETS – A quem se destinam?
As sessões individuais ETS destinam-se, basicamente, a quem opta por assumir um papel activo no seu próprio desenvolvimento e crescimento pessoal. A quem passando por algum desafio particularmente exigente na sua vida, procura ferramentas de auto-conhecimento que lhe permitam ultrapassar por esses desafios da forma o mais natural e consciente possível. Destina-se ainda a quem pretende fazer desta sua “passagem terrena” uma oportunidade para a auto-realização e para dar o seu contributo no sentido de tornar este mundo um pouco melhor.

No mês de Outubro as Sessões Individuais irão decorrer nos dias 8 e 29 de Outubro, 5ªfeiras. Têm a duração aproximada de 1h30m.

Contactos para marcação:

Ecologia da Transformação do Ser – ETS
93 447 6236 (Jorge Ariel)
f.b. https://www.facebook.com/ecologiadatransformacao


quarta-feira, 23 de setembro de 2015

Equinóceo de Outono 23 de Setembro de 2015


Equinóceo de Outono
23 de Setembro de 2015

O solo resplandesce das folhas amarelecidas pelo tempo. As árvores libertam-se da folhagem pois gradualmente nos afastamos dos momentos estivais onde cumpriram uma das suas principais funções. Gratidão pela sombra no forte sol de estio! Agora essas mesmas folhas, nesse solo húmido e profundo, cumprem uma outra função. Cumprem a função de alimentar o solo, cumprem a função de conterem, em si próprias, a semente do que há-de brotar.
É também tempo de nos libertarmos da nossa “folhagem” … de cumprimos mais um ciclo da vida encetando a empresa de uma nova fase. É tempo de também nós lançarmos sementes do que queremos que venha a brotar na nossa vida. É o tempo … é o tempo agora. É ainda o tempo de um maior recolhimento e uma ainda maior conexão com o som silencioso de mais este profundo ciclo da Natureza. Abraçando a chegada do Outono e saudando este jovem mas também velho companheiro!

Jorge Ariel